“É no campo da vida que se esconde um tesouro.

Vale mais que o ouro, mais que a prata que brilha.

É presente de Deus, é o céu já aqui, o amor mora ali e se chama família.”

domingo, 27 de maio de 2012

0

Final de semana AGITADOOOO

Final de semana mega agitado... mas de coisas e situações, boas, GRAÇAS A DEUS!
Camilinha anda com muitas secreções. Culpa desse tempo frio que anda fazendo por aqui.
Essa semana vai ser corrida: consultas e mais exames.
Estou ansiosa para terça-feira, dia que vou saber o resultado do Mapa.
Sexta-feira tem nefro...
Quantos passeios, né?

Ontem recebemos a visita da Gislaine, mãe da Mariana.
A Mari tem Mielomeningocele.
É uma graça!!! Ja adotei ela pra mim como sobrinha... na verdade, a familia toda!
Como ja falei aqui no blog, conheci a Gi pela internet e por coincidência, ela mora a 5 minutos da minha casa. No mesmo bairro, pode?
Não nos separamos mais...
Hoje liguei para a Adriana, mãe da Gabriela (Mielo tb...) para ela vir buscar a cadeira de banho que doamos para a Gabi.
Estava ansiosa para ela vir, pois queria ver a Gabi, mas imagino que pelo frio, ela acabou pedindo para o esposo vir buscar.
Precisamos marcar um encontro, na casa de uma de nós, certo amiga?

ADORO CONVERSAR!!!
Quem conhece, sabe...
É muito boa essa troca de informações entre as famílias de portadores de necessidades especiais, principalmente as mães.
Faz um bem danado!

Hoje também recebemos a visita da minha tia Tereza: foi ela quem conseguiu a cama hospitalar para a Camilinha. Veio ver como ficou o quartinho dela.

Ai ai... domingo agitado, mas feliz.
Boa semana para meus amigos que nos seguem aqui no blog.
Uma semana abençoada mesmo!!!
Bj
Valéria e Camilinha!!!

Ahhhhhhhhh!!! Ontem a Leila, mãe do Leandrinho que faleceu semana passada, me mandou notícias.
Graças a Deus ela está forte.
Chorei quando recebi uma mensagem dela...
Sabe quando você ama uma pessoa e não sabe explicar?
É assim que tenho essa amiga... essa irmã!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

1

Antes que eles cresçam...


Hoje fui até a APR (Associação Paranaense de Reabilitação) para buscar a cadeira nova da Camila.
Adorei ela!!!
Pena que no momento ela não pode ficar sentadinha, devido a escoliose.

Também fui até o Ciep levar o aparelho que monitora a pressão arterial.
Ela ficou monitorada 24 horas.
Estou super ansiosa para saber o laudo do exame, mas terei que esperar até terça-feira da semana que vêm...
Nos próximos dias ela também vai passar com a nefrologista.
Ai ai... quantas consultas, meu Deus!
Tudo de volta para a cirurgia.
Mas estamos aqui, firmes e fortes!

Quer dizer... não tão fortes.
Hoje mesmo  foi um dia que bateu um aperto no peito e  tive um momento nostalgia.
Me peguei pensando na minha infância, lembrei das brincadeiras, dos meus pais, de uma infância pobre, porém feliz.
Da época da escola, dos meus sonhos...
Talvez você se pergunte o que isso tem a ver com o blog?
Te respondo: TUDO!!!
Onde foram parar meus sonhos?
Onde no meu passado eu imaginava a vida que teria hoje?
Quando eu brincava de bonecas e sonhava ser mãe, nunca imaginei que cadeiras de rodas fariam parte da minha vida...
Em que caixinha com cadeado foram trancadas minhas fantasias de criança?
Não sei...
As vezes nos mantemos super fortes, outras vezes, nem tanto.
Acho que hoje estou no meu dia melancólico.
E tendo um dia de reflexões, resolvi compartilhar um texto bem antigo, que tinha salvo em meus documentos ha um tempo atrás.
Vou alí, pensar mais um pouco na vida.
Deixo aqui, um texto que hoje me fez chorar... (Você será a PRÓXIMA)
A Adriana e a Gislaine, CERTEZA!!!!

ANTES QUE ELES CRESÇAM

    Há um período em que os pais vão ficando órfãos de seus próprios filhos.
    É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados.
    Crescem sem pedir licença à vida.
    Crescem com uma estridência alegre e, às vezes com alardeada arrogância.
    Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.
    Um dia sentam-se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maneira que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.
    Onde é que andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?
    Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços e o primeiro uniforme do maternal?
    A criança está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça...
    Ali estão muitos pais ao volante, esperando que eles saiam esfuziantes e cabelos longos, soltos.
    Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com uniforme de sua geração.
    Esses são os filhos que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias, e da ditadura das horas.
    E eles crescem meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros.
    Principalmente com os erros que esperamos que não se repitam.
    Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos filhos.
    Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e das festas.
    Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação e do judô.
    Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de adesivos, posters, agendas coloridas e discos ensurdecedores.
    Não os levamos suficientemente ao Playcenter, ao shopping, não lhes demos suficientes hamburgueres e refrigerantes, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas que gostaríamos de ter comprado.
    Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto.
    No princípio iam à casa de praia entre embrulhos, bolachas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhos.
    Sim havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de chicletes e cantorias sem fim.
    Depois chegou o tempo em que viajar com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma e os primeiros namorados.
    Os pais ficaram exilados dos filhos. Tinham a solidão que sempre desejaram, mas, de repente, morriam de saudades daquelas "pestes".
    Chega o momento em que só nos resta ficar de longe torcendo e rezando muito para que eles acertem nas escolhas em busca da felicidade.
    E que a conquistem do modo mais completo possível.
    O jeito é esperar: qualquer hora podem nos dar netos.
    O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco.
    Por isso os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável carinho.
    Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.
    Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

0

Perto das nuvens fica seu mundo.



Hoje gostaria de agradecer as orações para nosso anjo Leandro, que criou asas e partiu para um novo mundo.
Um paraíso eu diria... Onde não existe mais dor, remédios, cadeira de rodas, médicos, seringas, cirurgias... Descansou.
Onde agora é só paz e alegria ao lado de Deus.
Particularmente, foi muito difícil pra eu poder acompanhar o velório dele ali no Hospital Pequeno Príncipe. Aquela capela gélida, aquela tristeza no ar, são sensações que levam dias para desaparecer da nossa memória... Se é que desaparecem.
Teve um momento que fiquei só eu e o Leandro naquela sala... eu o observava e pensava tanta coisa, como por exemplo, o quanto somos HIPOTENTES!!!!
Por eles serem de Maringá, havia apenas umas 5 pessoas no velório aqui em Curitiba. Me sentiria muito mal se não tivesse ido dar uma força para a minha amiga Leila e seu esposo.
O Leandro tinha muito em comum com a minha Camila: ambos com 10 anos, portadores de Paralisia Cerebral, cadeirantes, acamados, com crises convulsivas e uma baita escoliose.
O Leandrinho foi operado pelo mesmo cirurgião que vai operar a Camila mês que vêm.
Foi difícil acompanhar a vida deles nesses 33 dias que passaram em Curitiba.
A pós cirúrgico complicou, as bactérias e fungos surgiram e a cada dia ele estava mais fraquinho...
Quando o Aleandro (pai do Leandro) me ligou pela manhã, algo já me dizia que ele estava ligando para avisar que ele havia falecido. Não sei explicar.
Sem sombra de dúvidas, os filhos são um empréstimo Divino.
Nos foi proporcionado o ensejo da maternidade e paternidade para que nos dediquemos a transformar as nossas crianças em pessoas do bem e para o futuro estarem preparados para serem cidadãos do mundo.
Porém, existem pais e mães muito especiais que, na sua caminhada, têm filhos igualmente especiais. Crianças que nascem com alguma limitação, física ou intelectual, e que necessitarão de cuidados por toda a vida.
Com certeza, essa é uma grande e inadiável chance de crescimento espiritual para nós, mães e pais.
Existem  casos em que os pais delegam para instituições especializadas o cuidado integral com filhos portadores de necessidades especiais. Não sei como... eu não conseguiria.
Por outro lado, existem bons exemplos, em que pais e mães, muitas vezes, mesmo sem ter as condições físicas e financeiras adequadas, movem o mundo para oferecer o melhor em termos de tratamentos de saúde e conforto para seus filhos.
Qualquer obstáculo se torna pequeno quando o objetivo é promover o desenvolvimento e o estímulo de suas crianças.
Vibramos com cada pequena conquista. Cada sorriso, cada novo movimento aprendido, por menor que seja, é motivo de grande alegria.

Vamos olhar para cada criança especial, com todo o amor que possamos ter em nossos corações, e tenhamos a certeza de que se ela está no seio da nossa família, em nosso lar, não é por acaso.
Que possamos abrir as janelas do coração e olharmos lá dentro para ver como as pequeninas gotas de chuva encontram o sol, formando um arco-íris.
Olhemos para essas crianças como gotas frescas de orvalho repousando nas folhas, presentes do céu, esticando e virando, escorregando e caindo, como pérolas delicadas.
Não deixemos que se percam essas pequenas estrelas na Terra.
Assim como o brilho do sol em um dia de inverno banha o jardim dourado, elas afugentam as trevas dos nossos corações e aquecem o nosso ser.
São como um bom sono onde os sonhos flutuam, como fonte de cores ou borboletas sobre as flores, doces anjos, mostrando-nos que o amor se basta.
Elas são ondas de esperança, são a aurora dos sonhos e eterna alegria.
Elas são a chama que dispersa o temor, como a fragrância de um pomar que preenche os ares, como um caleidoscópio e suas miríades de cores, como flores crescendo em direção ao sol. Como notas de flauta em uma quieta floresta.
Elas são o sopro de ar fresco, o ritmo e música da vida.
São como a vida que pulsa, como botões destinados a florir.
Sonham acordadas, com os olhos abertos. Perto das nuvens fica seu mundo.
Existem tantos anjos nesse momento sonhando acordados, pisando, tropeçando, não estão sozinhas...
Só querem ter mil asas para voar, para explorar os vastos ares e então flutuar como um pássaro...

Adriana Trofino e Lísia Flores.
Obrigada por vocês duas também estarem com eles nesse momento.







sábado, 19 de maio de 2012

1

Uma caminha nova

Estamos muito felizes!
Camilinha ganhou uma cama nova, que além de proporcionar mais conforto pra ela, vai me facilitar muito a vida na hora do manuseio.
Nada como uma foto para expressar melhor!!!

Continuamos a pedir a Deus pelo Leandrinho.
Hoje ele teve uma leve melhora, mas a situação ainda é grave.
Manteremos a fé até o final!!!!


Bom final de semana
Val

sexta-feira, 18 de maio de 2012

5

Banheira Vitória

 Hoje, como prometi a Leila mãe do menino Leandro, fui até o Hospital Pequeno Príncipe para oferecer um colo, um ombro e um pouco de atenção para minha amiga que está sofrendo tanto.
Ha exatos 30 dias o Leandrinho entrou super bem para o Centro Cirurgico para fazer a cirurgia de coluna, mas como tenho dito aqui no blog nos últimos dias, seu quadro piorou muito.
A saturação está baixa, os batimentos cardíacos também.
Os médicos conversaram com a família e perguntaram a eles se caso o Leandro tiver uma nova parada cardíaca, se eles preferem que eles o reanimem novamente ou se deixam a natureza seguir seu percurso...
É triste uma situação assim... confesso que eu não saberia o que responder, uma vez que ele está sofrendo muito.
As proteínas estão super baixas e com isso o coração tem que trabalhar mais... mas ele está muito fraco, quase parando.
Os rins também estão deixando de funcionar e se ele começar com hemodiálise, vai ser muito mais sofrido.
Hoje peço orações para o Aleandro, pai do Leandro... ele está inconformado e muito abatido.
Me disse que sente pelas vezes que não esteve tão presente.
Ele se refere ao fato de não poder estar junto 24 horas. Mas eu o admiro muito, pois só se afastou da esposa e do filho para trabalhar.
Tentei confortá-lo dizendo que ele era um pai especial. Ele nunca o abandonou... encarou a situação desde o início e nunca abandonou o lar, o que acontece em 95% dos casos.
Não é raro um casamento acabar quando nasce uma criança que exige tantos cuidados... Estou errada?
De todas as minhas amigas mães de crianças especiais (não me refiro nesse caso as amigas virtuais, mas sim aquelas que frequentamos as casas, saimos, passeamos...) três ou quatro são casadas. E dessas, duas vivem super bem com o marido, tendo-o como fiél companheiro e quem ajuda/compartilha de tudo sobre os filhos. A maioria, vive de aparência!
(Estou ERRADA???)
E nas conversas virtuais então... mas isso fica para outro post.
Altas reclamações!


Essa família é linda! Simples e exemplar.
Oremos por eles!

Mudando de assunto...
Mais uma campanha do bem... Dessa vez, para a minha filhota!
Um novo e grande desafio a frente...
Estou precisando trocar novamente a banheira da minha pequena grande Camila.
Acho que alguém, escondido de mim, tem colocado fermento na dieta da minha filha...
A bichinha está grande e muito pesada e a banheira já não está suportando o peso.
Já troquei uma vez e também já foi feito um reparo, porém chegou a hora de trocar e não tenho escape!
Anexei algumas fotos do modelo da banheira que serviria pra ela e aliviaria as minhas costas por ser num modelo alto.
Ela é fabricada apenas em Belo Horizonte, e por esse motivo, o valor acaba ficando um pouco alto.
O valor dela fica em R$ 700,00 + o frete que é R$ 180,00 para a região onde moro. Tenho que arrecadar em torno de R$ 900,00.
Esse valor é só da cuba, mas meu grande amigo Pelicano (amigo de muita gente aqui!!!) já disse que o suporte fica por conta dele, como um presente para a Camila.
Estou aceitando contribuições: R$ 2,00 , R$ 5,00 , R$ 10,00...
Qualquer quantia!
De pouco em pouco, sei que chegaremos a um montante que, com fé, conseguiremos adquirir essa banheira.

Vou disponibilizar um conta caso alguém tenha interesse em ajudar com depósito.
Banco Itau
Ag 3270
Conta 00316-7
Deus abençoe.




quinta-feira, 17 de maio de 2012

0

A espera de um milagre!

A Leila acabou de me ligar... Meu coração quase saiu pela boca quando vi no identificador o DDD da cidade dela. Ela está em Curitiba, mas utilizando o celular de Maringá. GELEI! 
Atendi tremendo... Nosso pequeno anjo deu uma piorada agora a noite. A tarde quando liguei pra ela, ele não estava bom, mas agora a noite as coisas complicaram mais. O médico que está de plantão na UTI pediu para que o Dr. Luis Eduardo (quem operou o Leandro) fosse imediatamente para o hospital Pequeno Príncipe. A saturação está muito baixa. Batimentos cardíacos também... Mesmo que a situação tenha se complicado, prefiro pensar que tudo pode ser revertido!!!! Oração e pensamento positivo!
Hoje peço mais uma vez: orações e pensamentos positivos para o Leandrinho!

Camilinha continua bem!

segunda-feira, 14 de maio de 2012

1

Compartilhando o e-mail que recebi.

 Leiam o email que recebi:
 
 
Bom dia Valeria!
 
Navegando na internet encontrei seu blog e achei muito interessante a iniciativa de compartilhar suas histórias.
Sou Educadora Física em Maringá e participo  do Projeto Clube Escolar Paralímpico.
Auxilio outra professora com crianças com PC, nas modalidades de bocha, petra e futebol de 7.
A bocha tem dado muito certo e as crianças da ANPR tem gostando bastante das aulas.
 
Hoje, nossa dificuldade além de conseguir a cadeira de petra, está em encontrar crianças para praticar o Futebol de 7, a qual requer PCs andantes.
Teria alguma sugestão para chegarmos nestas crianças e/ou famílias?
Existiria alguma associação?
 
Espero que possa nos ajudar.
 
Cristane  Urakawa



Fiquei muito fliz com as palavras da Cris. O blog tem sido útil e fico contente quando recebo algum e-mail com comentários assim... gratificante e a certeza que alguém tem lido minhas palavras e muitas vezes mesmo distante, posso ajudar.

Quanto a minha filhota, tem tido das bons. Mesmo com esse friozinho que tem feito em nossa cidade.
Peço mais uma vez, orações pelo menino Leandro, que ainda está na UTI, 27 dias de lutas pela vida.
As coisas por lá ainda não estão nada bem... eleagora está com uma infecção generalizada.
Oração e pensamentos positivos.


Um abraço
Val
 

sábado, 12 de maio de 2012

0

Feliz Dia das Mães


Amor de Mãe

Conta o Antigo Testamento que, certo dia, duas prostitutas se apresentaram ao rei Salomão, e uma delas disse:

-Ó rei Salomão! Eu e esta mulher moramos juntas na mesma casa. Eu dei à luz um menino e, dois dias depois, ela também deu à luz um filho. Uma noite, ela, sem querer, rolou na cama sobre a criança e a sufocou. Aproveitando-se de que eu dormia, trocou os meninos: pegou o meu e o levou para sua cama, deixando o dela, morto, na minha. Quando acordei para dar de mamar ao meu bebê, percebi o que tinha acontecido.

A outra mulher protestou, dizendo que era mentira: o filho vivo era seu, tinha acontecido tudo exatamente ao contrário do que a primeira mulher havia contado. Salomão, sem alternativa mandou que trouxessem uma espada:

- Já que cada uma diz uma coisa e eu não tenho como descobrir quem está falando a verdade, cortarei a criança ao meio e darei metade para cada uma.

Ao ouvir aquilo, a verdadeira mãe do menino, desesperada, ajoelhou-se aos pés do rei e suplicou:

-Por favor, senhor, não mate meu filho!Prefiro então que o dê a esta mulher, mas, por favor, não o mate!

Salomão, então, ordenou que a criança fosse entregue àquela que chorava copiosamente a seus pés, pois já não tinha a menor dúvida de que a criança era mesmo dela e não da outra.

Amor de mãe é assim mesmo: capaz das maiores renúncias se estiver em jogo à vida ou a segurança de um filho.

De todos os amores que existem, o amor materno talvez seja o único que realmente faz jus a esse nome. Todos os sentimentos humanos são incertos e duvidosos, sujeitos a toda espécie de mutações: gastam-se com o tempo, são substituídos, esfriam e podem até morrer, menos o amor de mãe.

É claro que há mulheres irresponsáveis, que eventualmente abandonam suas crianças à própria sorte - mas, desde que o mundo é mundo, pessoas desajustadas sempre existiram.

As verdadeiras mães, no entanto, não estabelecem limites para sua devoção. São capazes de tirar da própria boca para saciar a fome de um filho, passar noites em claro para que ele durma sossegado, fazer sacrifícios por nós que nós, os filhos, talvez não fizéssemos por elas: sacrifícios dos quais nenhum outro amor são capaz.

Se juntássemos todas as lágrimas que as mães já derramaram por seus filhos, transbordaríamos o oceano.

Pelo filho, uma mulher é capaz de triplicar suas forças e transformar-se numa leoa, disposta a dar até sua última gota de sangue: nada dá tanta coragem a uma mulher do que sentir o peso de uma criança nos braços.”(GRÈVILLE)

As mulheres podem ser frágeis , mas as mães são fortes.

Quando o homem falta por morte, necessidade ou simples abandono, mais uma vez as mãe são chamadas ao sacrifício. E, como fosse insuficiente a sua missão, ainda fazem também o papel de pai.

O amor de pai também e belo, não há dúvida, mas o amor de mãe é sublime. O pai e o filho são dois; a mãe e o filho são um.” (LAO TSÉ)

Para a mãe, mesmo que já seja adulto, o filho é sempre uma criança. E pouco importam seus erros e pecados: o sentimento materno é sempre o mesmo, não muda por motivo algum deste mundo. Acaso o amor da mãe de Judas era menos que o de Maria por Jesus?

Feliz Dia das Mães!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

0

Julinha... um anjinho que voltou pro céu!

As noticias de hoje são só tristes...
O Leandro, nosso amiguinho de Londrina, teve hoje uma parada cardíaca.
Que nervoso, meu Deus!!!! Todos os dias falo com a Leila, mãe dele, e ele nunca melhora!!!
Sinto como se fosse comigo... que dó, meu Deus!!!!
Outra noticia que me entristeceu muito hoje, foi que a Julinha, filha da minha amiga e colega de trabalho Luciana, veio a óbito nessa madrugada.
Julinha foi diagnosticada com Encefalopatia Progressiva.
Era uma linda menina de 9 meses...
Peço que orem e peçam conforto a essas duas famílias.